sexta-feira, 6 de julho de 2018

R A st R O S






R A S T R O S
T R I L H O    M E U S    A N-S E I O S
A g o r a   m e s m o   A n s e i o   s e r   T r e m .
Mais que passageiro quero ser a própria vida fluindo, pois Anseio percorrer o universo Sem me ater a um estado de fixidez. Anseio Fluir no tempo e nos espaços. Trilhar trilhas em trilhos não rígidos Quase voar e me enebriar de tanto ver o mundo
Passar
Ser
e seguir sendo pelos rastros que,
 para trás vagos, Se apagam como traços em rabiscos falhos... Tanto quanto os que vem construídos pela mente veloz que se faz  defaz e refaz nos idos já sidos
do futuro que se foi.
Não há tempo
nesses trilhos de anseios apenas rastros de um vislumbre insóbrio fusco vesgo fugaz que me constrói  destrói amassa remóe  e reconstróe sempre
EM(N) FRENTE
Seguindo no sente vento tonto que sobe sonoro com os nós de eus  que unidos formam o per-
curso carretel
- o véu do ser.


Alçar montanhas alturas e céus.



andreiACunha